Santo André / SP - terça-feira, 29 de julho de 2014

Mielografia

O procedimento envolve o que é chamado de uma punção lombar. A medula espinhal e nervos flutuam dentro de um tubo longo, conhecido como o saco dural que é preenchido com um líquido (líquido cefalorraquidiano ou líquor.) A parede externa do saco é feito de uma membrana conhecida como  dura-máter. O objetivo é aplicar um contraste neste saco e realizar radiografias e imagens de tomografia computadorizada. O paciente normalmente é posicionado em uma mesa de procedimento, de lado ou sentado. A pele é então preparada  com uma substância antisséptica e então anestesiada. Uma agulha especial é então usada para penetrar o  espaço espinhal. Em seguida o contraste é injetado no espaço liquórico.

punção

 O paciente normalmente é colocado sobre uma mesa que pode ser girada ou inclinada para tentar forçar o contraste a fluir na direção da cabeça ou dos pés, conforme necessário.

Radiografias simples são então realizadas, as vezes complementadas por uma tomografia computadorizada. Isto fornece ao radiologista e ao neurocirurgião uma visão clara da relação entre os elementos neurais (medula espinhal, nervos espinhais) e da anatomia circundante.


 

 

MIELOGRAFIA LOMBAR EM INCIDÊNCIA ANTERO-POSTERIOR COM BLOQUEIO DO CONTRASTE POR UMA VOLUMOSA HÉRNIA DISCAL LOMBAR L4-L5Mielografia com Hérnia de Disco Lombar

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 MIELOGRAFIA OBLIQUA

MIELOGRAFIA EM INCIDÊNCIA OBLÍQUA MOSTRANDO COMPRESSÃO DA RAIZ NERVOSA POR UMA HÉRNIA DE DISCO LOMBAR

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

MIELOTOMO NORMAL

TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DE UM EXAME DE MIELOGRAFIA, MIELOTOMOGRAFIA:

EXAME NORMAL

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MIELOTC COM HÉRNIAMIELOTOMOGRAFIA COM HÉRNIA DE DISCO LOMBAR COMPRIMINDO O SACO DURAL