São Caetano do Sul / SP - terça-feira, 18 de dezembro de 2018

Ressonância Magnética

Popularizada a partir de 1980 o exame de Ressonância Nuclear Magnética ou Ressonância Magnética (RNM) permite a visualização mais detalhada do sistema nervoso. Comparado à tomografia há uma melhor imagem dos tecidos moles como cérebro, medula espinhal e nervos . Soma-se ainda a possibilidade de se observar as imagens em três planos.

É um exame de rotina nas doenças da coluna e medula espinhal.

Lesões da medula espinhal são raramente detectadas ao exame de tomografia sendo perfeitamente visiveis na ressonância magnética.

São também mais sensiveis na detecção de alterações do cérebro e tronco encefálico, incluindo tumores e infecções.

O exame de ressonância também envolve a aplicação de contraste intravenoso. DIFERENTEMENTE DA TOMOGRAFIA SÃO MUITO RARAS REAÇÕES ALÉRGICAS COM O USO DE CONTRASTE NA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA.

  

Limitações

  1. Pacientes claustrofóbicos podem necessitar de sedação para realizar o exame.
  2. Pacientes com implantes metálicos (metais ferromagnéticos) não podem realizar o exame
  3. A ressonância é um exame ruim para visualização de lesões ou alterações ósseas.
  4. Hemorragias agudas são melhor observadas na tomografia computadorizada.

 

 

RNM COLUNA TORÁCICA TUMORRESSONÂNCIA NUCLEAR DE COLUNA TORÁCICA DEMONSTRANDO A PRESENÇA DE UM TUMOR INTRARRAQUIANO COMPRIMINDO A MEDULA ESPINHAL

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

  

Aspecto cirúrgico tumorASPECTO CIRÚRGICO DO  TUMOR OBSERVADO NO  EXAME DE RESSONÂNCIA

MOSTRADO ACIMA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Remoção do tumorASPECTO CIRÚRGICO 

APÓS A REMOÇÃO DO TUMOR